11.3.16

Como fazer uma mesa de cavaletes

Vocês não sabem, mas quando nós nos mudamos para o nosso primeiro apartamento juntos, as únicas coisas que tínhamos era a nossa cama, a nossa televisão e o nosso guarda-roupa. Tivemos que comprar os eletrodomésticos (que são, sem dúvida, o mais caro para montar uma casa do zero) e, para não gastar uma fortuna montando o nosso home office, resolvemos que faríamos as nossas mesas com cavalete. E, sim, realmente saiu muito mais barato e ficou muito mais bonito do que uma mesa de escritório convencional.


Compramos quatro cavaletes na Etna (cerca de R$270 com frete), duas folhas de porta naC&C (cerca de R$150 com frete) e um rolo de 10m de papel contact branco naKalunga (cerca de R$40, também com frete). Como fiz as compras já há um bom tempo, pode haver uma diferença com o valor hoje. Gastamos um valor total de R$460,00 reais para fazer duas mesas, o que eu acho bastante vantajoso quando levamos em conta que uma mesa com pouco mais da metade do tamanho das nossas está sendo vendida a essa preço, não é mesmo?

Para fazer as mesas foi bastante simples. Encapamos as portas com o contact branco (sou muito alérgica a cheiro de tinta, pintá-las seria um problema pra mim, isso sem contar que pode ficar com farpas) e apoiamos a porta encapada nos cavaletes. Não tem segredo nenhum, é como embrulhar um presente. Minha dica é ir passando a régua enquanto passa o contact para evitar bolhas. Se mesmo assim surgir alguma, você pode fazer um furinho bem pequeno com alfinete para que ela suma. Fica imperceptível.


No fim das contas sobrou bastante contact. Recomendo que você peça ajuda para alguém quando for fazer, deve dar um trabalho enorme fazer sozinho. Acredito que eu e o meu namorado tenhamos levado cerca de 15 minutos para encapar cada porta, mas no fim vale super a pena. Penso em futuramente comprar um vidro para colocar em cima da mesa para proteger o contact, mas não é prioridade agora. O contact branco dá um certo trabalho porque suja muito fácil, mas um pano úmido resolve o problema.


O que falta agora no home office: uma estante que ficará logo abaixo da janela com alguns livros e também com a nossa futura impressora, que ainda iremos comprar. Quando nos mudarmos para o nosso novo apartamento, vou poder fazer um cantinho de leitura que eu sempre quis, já que não teremos mais o guarda-roupa da dona do apartamento sendo um fardo em nossas vidas. Viram que eu tirei a cortina verde-musgo? Que coisa horrorosa, né, gente. Caso você tenha curiosidade sobre onde compramos as nossas cadeiras: compramos esse conjunto com duas cadeiras Eames pretas e acolchoadas de couro ecológico na Mobly. Na época o conjunto custou R$250,00 (juro!).

9.3.16

Como fazer uma parede de bolinhas

Eu até poderia dizer para vocês que a saga do home office já está chegando ao seu fim, mas a verdade é que a vida adora dar uns tapas na nossa cara quando achamos que estamos bem, não é mesmo? Levando em conta que eu estou escrevendo esse post direto do meu home office, acho que não posso reclamar tanto assim.


Um belo fim de semana lá estava eu e o meu namorado sem muito o que fazer e aí eu disse: VAMOS ARRUMAR O HOME OFFICE. E foi o que fizemos. Estava tudo lindo demais até que, dias depois dessa verdadeira saga chegar ao fim, descobrimos que teremos que nos mudar mais uma vez. A vida tem dessas coisas.

Agora vamos falar sobre a parede de bolinhas que eu tanto amo. Vi essa ideia em muitas imagens no Pinterest e achei fácil, prática e barata para colocar em prática aqui em casa. Comprei as etiquetas da Pimaco pelo site da Staples: comprei três pacotinhos porque eu sou exagerada, na verdade nós gastamos menos de um para fazer a parede. O bom disso é que sobrou e eu vou poder fazer de novo no nosso novo apartamento.


Como eu sou uma pessoa extremamente perfeccionista, eu não quis colocar as bolinhas em uma ordem determinada, mas sim de forma aleatória. Caso eu colocasse com x cm de distância uma da outra eu certamente entraria em colapso se alguma bolinha não ficasse no seu lugar determinado. Isso sem contar que daria muito mais trabalho. Sinceramente? Não levamos nem três minutos até a parede ficar pronta. Mas você pode deixar tudo padronizado ou até fazer alguns desenhos legais; para quem gosta de Astronomia, acho que ficaria super legal fazer umas constelações.

Minha única dica é que você faça o teste na parede antes. Cole uma bolinha em algum cantinho, tire e veja se a tinta da parede não vai sair. Eu não fiz isso, é claro. E é claro que a tinta da parede saiu junto com a etiqueta, ou seja: vamos ter que chamar alguém para lixar a pintar a parede antes de entregarmos o apartamento. O barato saiu caro, mas a culpa foi minha por não ter pensado nisso antes. Sejam mais espertos que eu, amiguinhos.

Verdade seja dita: pelo menos o resultado é lindo.



11.1.16

Itens de papelaria que podem te ajudar nos estudos

Há alguns dias eu recebi uma mensagem muito fofa de uma pessoa que gostou muito das dicas de organização que eu dei aqui no blog. Essa pessoa contou um pouquinho do que estudava, dos materiais que usava, de como costuma se organizar, enfim... Depois dessa mensagem, eu percebi que a necessidade de organização e a forma como a organização pode ser feita varia muito a partir do que a pessoa estuda e do momento em que ela está vivendo.

Foi graças a isso que eu decidi vir aqui e falar de alguns itens de papelaria que podem ser muito úteis para as mais diferentes áreas de estudo. Nessa lista eu não incluí itens como agendas ou o bullet journal, e nem os post-its que já estão super batidos, mas sim objetos que podem complementar a sua lista de “material escolar”. Porque, afinal, não adianta nada ter uma agenda em dia se você perde as suas anotações da faculdade, certo? A organização não acontece só nas agendas: para que ela funcione, deve ser colocada em prática.



Pasta sanfonada
A pasta sanfonada foi a minha melhor amiga durante toda a graduação. Nos cursos de Humanas, principalmente, a quantidade de xerox é absurda: e quando digo absurda, é absurda mesmo, a ponto de eu já ter gastado R$100 em um mês com xerox. Para organizar todos esses papéis, a pasta sanfonada é excelente. Como eu fazia: todo o início de semestre eu comprava uma pasta sanfonada e guardava nela todos os xerox, trabalhos e exercícios daquele semestre. Tenho todas as pastas (uma para cada semestre) guardadas até hoje. Isso garantiu com que eu tivesse todo o meu material da faculdade organizado. Recomendo o uso da pasta sanfonada não só para que tem muito xerox na faculdade mas também para professores – afinal, não tem coisa mais fácil no mundo do que perder trabalho ou prova de aluno.

PASTA CATÁLOGO
A pasta catálogo tem uma função muito parecida com a da pasta sanfonada, mas eu diria que é um tipo de pasta feita mais para o pessoal ~das artes. Se você faz um curso que seja muito visual e que você precise ter um portfólio ou um painel de inspirações, como os cursos de Moda ou Artes Visuais, por exemplo, vale investir em uma pasta catálogo para colocar esse material que deve ficar visível, organizado e fácil de manipular.

UMA BOA MOCHILA
Essa dica é especialmente para quem ainda está na escola, seja no Ensino Médio ou no Ensino Fundamental. Quando eu estava no Ensino Médio eu tinha muito livros que eram enormes e absurdamente pesados, e é claro que eu tinha uma mochila para carregar todo aquele peso porque não era possível carregar tudo em uma bolsa ou nos braços. Como o peso era grande, se a mochila não era de boa qualidade ela começava a rasgar em alguns meses – e é por isso que eu digo que você, que tem muito material pesado, deve investir não apenas em uma mochila, mas em uma boa mochila, para que ela dure muito anos e você não jogue dinheiro fora.

UM CADERNO ARC
Para quem quer substituir o fichário – um objeto enorme e trombolhudo – por algo mais leve e prático, mas não quer perder a funcionalidade de um fichário, eu recomendo fortemente que você compre um caderno Arc, que eu já falei mais aqui. Você terá toda a funcionalidade de um fichário em um objeto muito mais leve, prático e barato. Puro amor, né?

MARCADORES DE PÁGINA
Os marcadores de página (ou flags) são super úteis para marcar o capítulo de um livro que você precisa ler, a página onde estão os exercícios da semana, os textos que você precisa ler para a próxima aula ou que você precisa consultar regularmente... Enfim. São extremamente úteis para marcar o que for importante em um livro. Os meus livros teóricos são cheios dessas flags, usei muitas delas principalmente durante o meu TCC.

UM CADERNO DE ANOTAÇÕES
Sempre tem um pessoal na faculdade que adora se gabar dizendo coisas como “não tenho nem caderno!” quando alguém pergunta sobre alguma aula ou alguma anotação. Tem gente que realmente não usa caderno e eu tive vários amigos assim na faculdade. Eles usavam apenas o xerox que os professores pediam e pronto, resolviam com aquilo mesmo. Se você for do tipo de pessoa que funciona melhor assim, eu sugiro que você tenha pelo menos um caderno de anotações para anotar aquelas poucas coisas que você considera relevante e não passar vergonha pedindo uma folha para os colegas quando precisar.

Espero que vocês tenham gostado dessa lista e incluam algum desses itens na sua ~lista de material escolar~ para iniciar bem os estudos em 2016.

E você, tem algum item de papelaria que te ajuda muito na hora de se organizar nos estudos?

30.12.15

Minha meta de leitura para 2016

Depois de estabelecer a meta de ler pelo menos 20 livros em 2016, achei que seria interessante fazer uma lista de livros que quero ler para que eu não fique tão perdida e nem saia lendo qualquer um que apareça. Como eu não quero ficar muito limitada a ler determinados livros (vai que surge algum livro muito legal no meio do caminho, né?), eu fiz uma lista com apenas dez títulos – os outros dez eu vou escolhendo conforme o meu estado de espírito.

  • Drácula, de Bram Stoker.
  • Jane Eyre, de Charlotte Brontë.
  • Lolita, de Vladimir Nabokov.
  • Madame Bovary, de Gustave Flaubert.
  • Mrs. Dalloway, de Virginia Woolf.
  • O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë.
  • O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir.
  • Os Irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoiévski.
  • Persuasão, de Jane Austen.
  • The Bell Jar, de Sylvia Plath.

Verdade seja dita: se eu conseguir cumprir pelo menos cinco itens dessa lista eu já vou ficar imensamente feliz, mas a ideia é que eu me esforce o máximo possível para que eu leia livros que eu realmente queira ler e pare de perder tempo com livros que eu não vou gostar.

Tive um problema na última meta de leitura que fiz: muitos dos títulos eram distopias e, como eu havia passado o ano de 2014 lendo muitas distopias e estudando muito sobre esse gênero para o meu TCC (que foi sobre Laranja Mecânica, aliás!), eu comecei a ler a primeira obra e já percebi que eu estava muito enjoada daquele tipo de leitura. Decidi tirar uma folga das distopias por um tempo e a minha lista para 2016 está bem cheia de clássicos e leituras que são, para a crítica, quase obrigatórias.

E você, já fez a sua meta de leitura para 2016?

29.12.15

Minhas metas para 2016

Depois de trazer para o blog um pouco do que eu acredito sobre metas, vim aqui com os pés no chão para fazer a minha lista de metas para 2016. Não vou ser super ambiciosa e encher essa lista com itens que eu não conseguiria cumprir. A ideia é que eu passe a me cobrar um pouco mais em relação a algumas coisas e, se eu perceber que alguma dessas metas não poderá ser cumprida em 2016, eu mudo os meus planos sem ficar com peso nenhum na consciência.


NÃO COMPRAR LIVROS
Essa é provavelmente a meta mais ambiciosa de todas, mas é extremamente necessária. Eu tenho muitos livros físicos em casa – houve uma época da minha vida que pelo menos metade do meu salário era destinado para a compra de livros, olhem a loucura. Além de eu ainda não ter um espaço oficial para eles em casa, há muitos livros por aqui que eu ainda não li – e vários outros na casa dos meus pais que eu não pude trazer. E, além dos livros não lidos, eu tenho um Kobo com uma quantidade de livros tão grande que nem em uma vida eu leria todos eles. Minha ideia é comprar algum livro apenas se for de extrema necessidade – para um curso, talvez.

COMPRAR APENAS O NECESSÁRIO
Já faz alguns meses que eu estou me esforçando para ser menos consumista e percebi que o meu pensamento progrediu muito em relação a compras em geral – eu já não sinto aquela vontade descontrolada de comprar coisas que eu não preciso. Tenho poucos pares de sapatos, poucas bolsas, roupas sem excesso e uma coleção de maquiagem bastante básica. Estou em busca de comprar algo apenas quando eu realmente precisar, assim como também quero investir em produtos de maior qualidade para que durem mais tempo.

LER PELO MENOS 20 LIVROS
Eu sei que 20 livros pode parecer muito pouco para algumas pessoas, mas nos últimos anos eu não tenho conseguido ler muito. Desses 20 livros que pretendo ler no ano, quero que pelo menos 5 deles sejam de grande literatura. Eu gosto de fazer leituras levinhas para descansar a cabeça, mas verdade seja dita: ninguém progride sem aumentar o nível. Para quem não sabe, fui professora de adolescentes e eu passei um bom tempo lendo livros de YA (young adult, livros escritos para um público entre 14 e 21 anos) para conhecer um pouco mais aquilo eles gostavam de ler. Cansei. Quero ler literatura de verdade.

MANTER O BLOG ATIVO E ATUALIZADO
Outra meta bastante difícil, mas que eu tenho conseguido manter bem nas últimas semanas e acredito que consiga nos próximos meses sem problemas. Os meus maiores problemas para enfrentar uma meta como essa é a falta de criatividade para novas postagens e também a falta de tempo quando tenho muitas tarefas paralelas para fazer. Quero que o Quimera Embriagada cresça e encontre o seu espaço no mundo dos blogs, mas ao invés de criar metas com números de visualizações, resolvi criar uma meta que dependesse muito mais de mim mesma do que de outras pessoas.

ORGANIZAR OS MEUS DOCUMENTOS
Esse é o tipo de coisa que eu deveria ter feito assim que me mudei para Jundiaí, mas não fiz por inúmeros motivos – minha vida estava uma bagunça e a prioridade de encontrar um apartamento e torná-lo habitável era infinitamente maior do que qualquer coisa. Preciso fazer umas coisas chatas, como renovar o meu RG e fazer uma união estável no cartório. É o tipo de coisa que eu sei que depois de fazer eu vou falar algo como "até que foi fácil, né?".

ESTUDAR
Um dos meus principais objetivos de vida é ingressar no mestrado de literatura inglesa. Para isso acontecer eu preciso estudar muito: preciso melhorar o meu inglês para passar na prova de proficiência em segunda língua, preciso pensar e montar um projeto e também preciso me preparar para as avaliações. Sei que eu dificilmente vou entrar nesse ano, mas quero começar a me preparar o quanto antes e talvez eu faça um studyblr para acompanhar essa rotina de estudos. Eis um exemplo de meta com os pés no chão: eu poderia colocar "entrar no mestrado", mas coloquei "estudar mais" porque entrar no mestrado é uma consequência do meu esforço nos estudos.

TERMINAR O HOME OFFICE
Nada de pensar que a saga do home office acabou! Um dos meus principais objetivos é terminar o home office em 2016, além de arrumar algumas outras coisinhas no nosso apartamento. Temos algumas ideias bem legais e agora só faltar ter um tempinho para colocá-las em prática.

ARRUMAR UM EMPREGO
Essa sim é a meta mais difícil de todas, principalmente porque não depende só de mim e sim da boa vontade das pessoas em me contratar. Estou desempregada há mais de um ano e isso tornou o meu ano de 2015 um dos piores momentos da minha vida. A ideia é que eu faça tudo o que estiver ao meu alcance para cumprir essa meta, mas isso é algo que foge da minha responsabilidade.